Texto
Lembrará de mim pelo eterno!
Alguns são capazes se perguntar por vezes o quão será sua longevidade. A vida ─ uma dádiva divina ─ concedida aos homens em busca da continuidade, ao meu ver. De acordo com alguns pensadores, baseados em suas mentes evoluídas, este presente não passa de uma propriedade que caracteriza os organismos cuja existência evolui do nascimento até a morte. Somos então uma demonstração de que nada eterno? Nossa existência tem fim. A carne é consumida, o carbono é degradado e ao fim da noite, não há mais seu ser. É atormentador imaginar o quão insignificante parece ser. A história irá te esquecer. Nós perdemos entes amados a cada segundo que se passa. E não importa o quanto os amamos, ao longo daquilo que define como "vida", os esquecerá. "A história irá te esquecer", ouso repetir em alto e bom som.

[RP FECHADA] Sophrosyne / 15.03

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[RP FECHADA] Sophrosyne / 15.03

Mensagem por Convidado em Sex Mar 25, 2016 10:30 pm



ᴀɴᴇᴍᴏɪᴀ ▽

A postagem é iniciada por Gehard Vin Madekwe e Chad M. Stewart. Estando então, fechada para os demais. Passando-se esta em 15/03, em um dos prédios abanados na periferia da Itália. O conteúdo é livre. A postagem está em andamento.

Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP FECHADA] Sophrosyne / 15.03

Mensagem por Convidado em Sex Mar 25, 2016 10:58 pm

LOSER TUNES

Costumo dizer que, quebrar tem sido uma das melhores coisas do que construir. Quer dizer, podemos ter tanto fracasso quanto lucro em tudo aquilo criado e eu tenho a sorte de dizer, que mentalizo e julgo essas práticas. esperando a tarde "ansioso" como de costume, pendi atrás de minha nuca o taco de madeira bem esmurrado e me dirigi para as áreas em que escutei no café, abandonadas de Veneza.

O som dos fones me agradava de forma com que escondesse todo o plano que tinha em mente afim de que mesmo que quisesse, passaria quase que despercebido pelos mortos moradores do hotel em que estava atualmente hospedado. Quando cruzei cerca d nove quarteirões, pudê perceber a entrada da localidade vazia o que me dava prazer para correr livremente para perto do primeiro monte que poderia ver. 

A miragem era de um carro, o que acabei indo de relance atacar sua frente. O celular em meu bolso logo proporcionou descargas descomunais da música para que a raiva se impulsionasse de jeito. O meu jeito é claro. Cacos de vidro se partiam indo em direção de meus ombros e de meu rosto junto com algumas lascas intrusas da madeira da minha tão potente arma que parecia ser um bambu comparado ao outro material. O ataquei longe usando de meus próprios pés para destruir toda a carcaça lúgubre do velho automóvel. 

Convidado
Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum